quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

A vingança de Maria

A VINGANÇA DE MARIA.

Parte 1 de 3

Por Francisco Maniçoba...


Três da manhã, a chuva caia fortemente na cidade de milagres...
Maria de 22 anos e seu noivo Rubens de 31 voltavam do aniversário de um amigo...
Mal enxergavam a estrada devido a chuva, no carro os dois falavam de como a festa tinha sido agradável, enquanto Rubens falava Maria o olhava com devoção.
Sentia se com sorte por ter encontrado aquele homem pelo qual sempre sonhou em ter ao seu lado...
Derrepente um barulho alto interrompeu as palavras de Rubens, o carro derrapou na pista, os gritos de Maria fez subir um frio na espinha de seu noivo..
Foi apenas um susto, eles estavam bem, felizmente!
Ele tentava acalmar Maria, e se acalmar..
Após alguns minutos ele saiu para ver o tamanho do estrago, sob a chuva que não dava trégua, viu que no pneu da frente havia três pregos presos a um pedaço de madeira e ao pneu, percebeu que havia algo errado e voltou para o carro.
Assim que abriu a porta do motorista sentiu uma pancada na cabeça e desmaiou.
Rubens acordou um tempo depois com os gritos estridentes de Maria, ainda zonzo virou a cabeça para o lado e  viu Maria no chão imobilizada por homem que a estuprava violentamente, percebeu de imediato que não estava mais na estrada, era um matagal e mal se via algo além de alguns metros devido a noite escura e a chuva.
Ao olhar para o outro lado viu mais três homens rindo e bebendo vodka no gargalo.
Rubens reuniu suas forças e levantou ainda tonto...

- Vejam a bela adormecida acordou. Vociferou um dos homens.

Rubens com dificuldades conseguiu empurrar o homem de cima de Maria,  então ele foi agarrado por outro enquanto o terceiro batia nele sem piedade.
Maria implorava para que parassem mas os homens se divertiam, um deles pegou uma barra de ferro e bateu algumas vezes na cabeça de Rubens que caiu ao chão ainda acordado..

- Agora é a mha vez, olhe com atenção sua mulher gemer com um homem de verdade.
Disse um deles ao desabotoar a calça e começar a estuprar Maria que gritava e se debatia...
Após algumas horas de tormento, Maria sem forças viu Rubens levar um tiro na cabeça.
E o mesmo carrasco do amor de sua vida, aproximou se dela e desferiu três tiros em seu peito!


DOIS MESES DEPOIS....

Maria acorda em uma cama de hospital, com tubos no nariz,  braços com fios e agulhas, um desespero a tomou, falta de ar, tudo escureceu, tentou gritar mas a voz não saiu, arrancou os fios dos braços, do nariz, levantou mas suas pernas não obedeceram, caiu ao chão, e finalmente o nó alojado na garganta se desfez e o grito saiu podendo ser ouvido por todo o hospital.
Viu alguns enfermeiros entrando no quarto, um deles a pegou no colo, e então Maria desmaiou...


CONTINUA.....

2 comentários: